Procedimentos para a Reabertura Segura de Bares e Restaurantes
Adaptações e Procedimentos para a Reabertura Segura de Bares e Restaurantes

Adaptações e Procedimentos para a Reabertura Segura de Bares e Restaurantes

Com a permissão da reabertura segura de bares e restaurantes, proprietários e consumidores deverão se adaptar a uma nova realidade e fortalecer os procedimentos de higiene pessoal e ambiental para evitar a transmissão da Covid-19. Será preciso conquistar a confiança do consumidor para garantir a sustentabilidade financeira do negócio.

Nutri Safety reuniu as principais medidas preventivas que os estabelecimentos devem adotar para garantir a segurança dos funcionários e consumidores. São procedimentos importantes durante os processos de recebimento, produção e comercialização dos alimentos, além de orientações sobre as práticas de distanciamento.

Antes da reabertura, submeta todos os ambientes do estabelecimento a um intenso processo de desinfecção prévia, especialmente as cozinhas, os sanitários e as áreas de acesso público, seguindo as indicações das autoridades sanitárias e dos profissionais pertinentes.

Eduque e conscientize a sua equipe, ministrando um treinamento, antes do retorno das atividades, apresentando as regras estabelecidas no novo Protocolo do Governo do Estado de São Paulo, a fim de garantir seu cumprimento e reforçando os procedimentos de boas práticas de higiene e manipulação de alimentos, além do uso de EPIs como máscaras, luvas descartáveis, viseiras e higienização das mãos.

Todos os funcionários deverão, diariamente, ser submetidos à triagem rápida, com o objetivo de identificar possíveis casos suspeitos e efetivar medidas de prevenção e controle em tempo oportuno. Funcionários que apresentarem febre e/ou sintomas respiratórios deverão ser afastados do trabalho, retornando preferencialmente após avaliação e alta médica.

Com os clientes não será diferente, antes de entrarem nas dependências do estabelecimento, todos deverão estar de máscara e sujeitar-se a medição de temperatura, sendo considerados suspeitos de portarem Covid-19 aqueles que apresentarem febre.

A densidade ocupacional de clientes no estabelecimento deve limitar a ocupação interna de 40% da sua capacidade máxima e os pedidos devem ser feitos preferencialmente por meio de plataformas digitais, assim, caberá ao garçom apenas a função de levar os pratos prontos à mesa.

Quando isso não for possível, os cardápios devem ser plastificados para serem higienizados com álcool 70% antes e depois da consulta ou devem estar visivelmente dispostos nas paredes do estabelecimento e o garçom pode anotar os pedidos mantendo-se distante das mesas, usando máscara de proteção, assim como os clientes.

Continue investindo nas vendas online, remotas ou utilizando outros mecanismos de atendimento não presencial de clientes.

Cuidado com aglomerações nas áreas de produção e nas áreas comuns de circulação dos clientes, posicione as mesas com 2 metros de distância umas das outras e entre cadeiras de mesas diferentes, de, pelo menos, 1 metro. Além disso está vedada a concentração de grupos com mais de 6 pessoas em uma só mesa e a interação ou proximidade entre grupos alocados em mesas distintas. Lembre-se de aumentar a periodicidade de limpeza das superfícies tocadas pelos funcionários e clientes (mesas, cadeiras, máquinas de cartão, maçanetas etc).

Realize marcações no piso nos locais onde são formadas filas, como as de espera, nos buffets de autosserviço, balcões de atendimento, caixas de pagamento, sanitários, e até do lado de fora do estabelecimento, orientando os clientes e funcionários a posicionarem-se a 1,5 metro de distância um do outro.

Disponibilize recipientes com álcool em gel 70% para funcionários e clientes em pontos críticos como na entrada do estabelecimento, caixas de pagamento, sanitários e em áreas onde os alimentos são servidos e manipulados.

Estabelecimentos que adotam o sistema de autosserviço (self-service), devem colocar um funcionário, portando máscara e luva, para montar os alimentos nos pratos, conforme solicitado por cada cliente e o balcão de distribuição deve ainda estar protegido por barreiras de proteção. Se essas medidas não forem possíveis, deve-se ao menos oferecer uma pia para lavagem das mãos ou luvas descartáveis para evitar a contaminação dos pegadores e solicitar aos clientes que não falem enquanto se servem. Disponibilize os temperos e condimentos em sachês ou em porções individualizadas diretamente da cozinha a cada cliente.

Oriente, ostensivamente, funcionários e clientes, inclusive por meio de cartazes afixados, banners, panfletos, áudios, vídeos, e-mails etc., sobre a necessidade da higienização frequente das mãos, bem como sobre a maneira correta de fazê-la por pelo menos 20 segundos. Providencie pias exclusivas para lavagem de mãos para funcionários e clientes, com sabão líquido, papel toalha, álcool em gel 70% e lixeira com acionamento por pedal.

Embora o ideal seja que todos os restaurantes tenham um ambiente ventilado e arejado naturalmente para promover boa circulação de ar, há muitos estabelecimentos que dependem de ar condicionado. Quando isso ocorrer, além da manutenção rigorosa da limpeza de rotina, deve-se prestar atenção na direção do fluxo de ar, que não deve ser forte nem direcionado às mesas mais próximas.

Recomendações Gerais

  • Potabilidade da água: checar se os reservatórios necessitam de limpeza e se os filtros precisam ser trocados de imediato ou se é possível aguardar até a data prevista, importante verificar se as análises de potabilidade estão dentro do prazo;
  • Controle de pragas: atestar que o estabelecimento esteja livre de infestações e o controle de pragas pela empresa parceira esteja sendo realizado conforme cronograma;
  • Análise do equipamento de ar condicionado: as manutenções devem estar em dia e a limpeza do equipamento em condições adequadas;
  • Calibração de equipamentos: checar se os termômetros e balanças necessitam de calibração;
  • Limpeza completa do sistema de exaustão: checar se há necessidade de agendamento imediato para limpeza do sistema de exaustão ou se pode esperar mais algum tempo, uma vez que o estabelecimento pode ter ficado fechado. Importante que a avaliação seja realizada por profissional capacitado.
  • Limpeza das caixas de gordura: checar se há necessidade imediata de limpeza ou se pode esperar mais algum tempo, pois o estabelecimento pode ter ficado fechado;
  • Fornecimento de gás: verificar se o sistema de distribuição está adequado.

Realize higienização diária do local e das superfícies que receberá o público e em que serão preparados ou armazenados os alimentos. Intensifique principalmente a higienização dos sanitários de uso dos colaboradores e clientes. Divulgue e apresente aos seus clientes os procedimentos de segurança adotados pela sua equipe, construindo uma relação de confiança diante deste novo cenário e minimizando as chances de contaminação.

 

Acesse o novo Protocolo de Reabertura com as principais medidas preventivas contra a Covid-19.

Conte conosco e prepare o seu estabelecimento e a sua equipe para um atendimento seguro!